Tutorial: Como preencher um formulário rafflecopter

Resenha: Astro boy

22 de mai de 2012
Astro Boy
Direção: David Bowers
Argumento: David Bowers
Roteiro: Timothy Hyde Harris & David Bowers
Dublagem: Freddie Highmore, Kristen Bell, Nathan Lane, Eugene Levy, Matt Lucas, Bill Nighy, Donald Sutherland, Charlize Theron e Nicolas Cage
Produção: Summit Entertainment/Imagi Studios em associação com EndGame Entertanment
Distribuidora: Paris Filmes
Ano: 2009
Avaliação: Bom





Astroboy é uma animação que foi um tanto diferente para mim, pois quando vi o primeiro teaser trailer, ele não despertou meu interesse, mas sim minha curiosidade. Ou seja, não fiz questão em assisti-lo no cinema, mas assim que saiu em DVD, fiz questão de comprá-lo.

No futuro a terra perdeu seus recursos naturais, então boa parte da população, passou a viver em uma ilha flutuante chamada de Metro City. A terra passou a ser chamada de Superfície, e ser utilizada como sucata de robôs.

 Toby é um garoto de 13 anos, filho do pai da robótica moderna, Dr. Tenma. Certo dia durante o teste de uma nova arma de guerra criada pelo seu pai, encomendada pelo prefeito Stone, Toby morre, seu pai, possuído pela culpa por ter sido um pai ausente cria um robô, que é a cópia fiel do seu filho, equipado com várias armas de última geração, para que nada de mau lhe aconteça novamente.

Tudo ia bem entre o Dr. Tenma e seu novo filho, até que ele percebe o erro que cometeu e passa a rejeitar sua nova criação. O prefeito Stone, quando descobre a capacidade de força do robô Toby, resolve capturá-lo e usar sua energia para abastecer a nova arma de guerra intitulada, O Pacificador. Mas durante a perseguição, Toby é atingido e acaba caindo na Superfície.

Lá ele conhece os órfãos, Zane, Widget, Sludge e Cora, que procuram peças de robôs para serem reaproveitadas. Temendo isso, Toby não conta que é um robô e passa a se chamar de Astro abandonando sua antiga identidade.

Ele passa a viver com os órfãos, fazendo de tudo para não ser descoberto e ir parar em uma arena de robôs gladiadores, onde se deve lutar até a morte (no caso destruição, já que são robôs), além disso, tem o prefeito Stone que está à procura de sua energia que lhe dá força e o mantém vivo.

O enredo é interessante, com aventura na medida, embora alguns personagens tenham me lembrado o Timão e Pumba de O Rei Leão, mas o que me irritou mesmo foi a transformação que fizeram no personagem do Dr. Tenma, que se tornou um pai bondoso que só quer o bem da cidade, bem diferente da versão original, onde ele ficou louco, depois da morte do filho, essa loucura o fez criar e desprezar totalmente seu filho robô, a ponto de se tornar cruel e insano.

O que mais me encantou foi o designer da animação, que foi altamente fiel aos personagens traçados pelo criador, Ozamu Tezuka. Mas nem tudo foi fiel aos traços do pai do mangá, os órfãos não lembram em nada o traço do mestre, principalmente Cora, que de tão perfeitinha, parece um personagem de outra animação.


Além do designe limpo e bem trabalhado, a trilha sonora composta por John Ottman (Superman – O Retorno), é um espetáculo a parte, pois é de uma harmonia belissima, que traz emoção e sensibilidade nos momentos certos.

O que me incomodou bastante foi a dublagem brasileira, Astro Boy foi dublado pelo ator e apresentador Rodrigo Faro, nada contra ele, eu até o acho um bom ator, alguns o acham um bom apresentador, mas para quem entende de dublagem, sabe que ele não conseguiu passar as sensações e emoções do personagem, com a voz sendo forçada para parecer a de um garoto de 13 anos, bem diferente dos outros dubladores do longa, todos profissionais. Algo que as distribuidoras brasileiras tem que saber é que todo dublador é ator, mas nem todo ator é dublador.

A animação não é ruim, para quem não conhece a versão original do personagem, mas para quem conhece, as mudanças chegam a ser irritantes, embora elas tenham ocorrido para amenizar a carga dramática da versão original, que poderia aumentar a classificação do longa para 12 anos, o que prejudicaria as bilheterias.

Enfim, Astro Boy é agradável. É divertido, com aventura, ficção e personagens carismáticos. Bom para se assistir em família sem preocupação.


CURIOSIDADES

  • O criador, Ozamu Tezuka, foi o responsável por dar as características atuais que vemos em todos os mangás. Olhos grandes e expressivos, leveza nos traços e uma carga dramática intensa, com enredos complexos envolvendo os mais variados gêneros. Por isso ele passou a ser conhecido como o pai do mangá.
  • Os olhos grandes e expressivos, criados por Ozamu Tezuka para seus personagens, foram inspirados pelos traços do animador, produtor, empresário e diretor, Walt Disney, de quem ele sempre foi fã.
  • Em 1963, Tetsuwan Atom (Astro Boy) estreou na TV japonesa, se tornando o primeiro anime baseado em mangá da história.
  • Ao todo, Astro Boy teve três séries animadas, a primeira em 1963, a segunda em 1980 e a terceira em 2003.
  • Quando o anime passou a ser exibido nos Estados Unidos, Tetsuwan Atom passou a ser chamado de Astro Boy, nome que o deixou conhecido em todo o mundo.
  •  O criador, Ozamu Tezuka morreu em 1989, vitima de câncer no estomago.
  • Na versão americana, Freddie Highmore que interpretou, o personagem Charlie Bucket, de A Fantástica Fabrica de Chocolate (2005), dublou o Astro Boy
  • A atriz Kristen Bell, que interpretou a personagem titulo da série de TV, Veronica Mars, dublou a órfã Cora.
  • O ator Nicolas Cage, que fez a voz do Dr, Tenma na versão americana, é fã do personagem Astro Boy desde criança.
  • Aparentemente os fãs não aprovaram as alterações realizadas pelos produtores do longa e ele foi fracasso de bilheteria, em seu primeiro final de semana de estréia, arrecadou apenas 7 milhões dos 40 milhões gastos na produção.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

7 comentários:

  1. Que lagal Bianca (começando pelas curiosidades, hehe)Eu não tinha ideia que era sobre um mangá o Astro Boy.. Adorie saber.. vou contar pro meu irmão (ele é viciado em mangás '-')
    Bom, não sei se eu veria o filme, acho que estou cansado de animações.. mas pelo que você disse, o filme tem tudo pra ser bom, o drama e tal, mesmo sendo um pouco infantil.. E agora, colocar o Rog]drigo Faro para dublar ? É quse, ou até pior, que colocar o Luciano Hulck (assim que se escreve?) para dublar o personagem do filme 'Enrolados' .. não deu certo..
    ENfim, adorei a postagem, parabéns ! Está muito bem escrita ^_^

    Fernando

    http://nerdliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Adorei a resenha, Daniel!
    Sinceramente, eu não tinha vontade alguma de assistir a esse filme... Não conheço praticamente nada de mangás, animes e etc, então não foi um apelo muito grande pra mim... Mas confesso que fiquei curiosa com sua resenha! Parece uma boa animação, deu vontade de assistir! =)
    Aah, adorei as curiosidades, muito legal saber estes fatos sobre o filme e a obra original! ^^
    Bjuss
    Paty Algayer - http://www.magicaliteraria.com/

    ResponderExcluir
  3. Eu não tinha interesse em ver Astro Boy, pq não curto muito esse universo de animes e mangás, mas sua resenha me despertou o interesse de assistir e já abaixei para conferir ^^
    As curiosidades é bem legal e isso que nem todo ator é dublador é a pura verdade.

    Beijos
    Bianca

    ResponderExcluir
  4. Ah eu não tenho muita paciência pra assistir esse tipo de filme, apesar da resenha está perfeita. Beijos.

    leiturasdepaty.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Eu como a Paty não tenho paciência pra filmes muito família, sabe, muito politicamente correto sabe? Eu veria pela a qualidade gráfica mesmo,num domingo a tarde, mas sem esperar muito!

    Bjs.

    ResponderExcluir
  6. Eu adoro Astro boy! Muito bom! A resenha como a Paty disse está perfeita!

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Eu assistia o desenho do Astro Boy quando era criança, e não fazia ideia de que era baseado em um mangá, não vi o filme pq quando ele estreou eu já tinha enjoado do desenho.
    Fiquei curioso em ler o mangá, pois da maneira que vc falou parece que ele tem um tom mais maduro e dramático, o que na minha visão deixaria Astro Boy com aparência de uma distopia e não entretenimento para crianças.
    http://viciadoemlivrosefilmes.blogspot.com/

    ResponderExcluir

 
© Copyright 2014. Todos os Direitos Reservados.